Você conhece a história da música Amazing Grace? Lembra do pequeno anjo que aos 6 anos fazia sucesso no You Tube com essa música? Parece que foi ontem… Só que Rhema acabou de fazer 14 anos. Como o tempo passa rápido!!

A cantora Rhema Marvanne, que se tornou famosa com apenas 6 anos de idade, acabou de completar 14 anos. Ela nasceu dia 15 de setembro de 2002, em Dallas,Texas, Estados Unidos.

Rhema começou a cantar quase ao mesmo tempo em que começou a falar. Ela ganhou fama com seis anos de idade depois de gravar ‘Amazing Grace’, sua primeira canção. Ao ser publicada em 13 de junho de 2010, a gravação de “Amazing Grace” a tornou uma celebridade no YouTube .

Rhema recebeu essa inspiração da sua mãe, Wendi Marvanne, que morreu devido a um câncer de ovário, em 8 de Novembro de 2008, com a idade de 36 anos.

 

Conheça a história e a origem dessa música

Anúncios

A alegria é a marca registrada do brasileiro, em qualquer lugar do mundo. Isso ninguém vai mudar!

palhaço

Hoje eu vi um pouco do programa “Encontro com Fátima Bernardes” em que foi abordada a questão de chipar ou não o uniforme dos alunos. A nova geração já vive chipada… a garotada anda com o celular na mão. O ideal de vida é viver com liberdade. Mas como desfrutar dela, nessa onda de violência? A vigilância digital faz parte da nova realidade. É óbvio que ninguém quer viver monitorado. Mas a nova realidade indica que a vigilância digital se tornou uma alternativa de segurança. Fato! Parece utopia que um sistema no celular seja o nosso rastreador de segurança. Um filme de ficção que invadiu a realidade.

Mas é isso! Embora sejam questões de vigilância diferentes… o governo nos vigia e o contrário não acontece, isso precisa mudar. Nós brasileiros precisamos viver mais atentos e deixar de ser engabelados com promessas políticas que acabam engavetadas.

A verdade é que no Brasil enquanto houver carnaval, futebol e feriado, o brasileiro sempre vai levar a vida numa boa. A alegria é a marca do nosso povo. Isso ninguém vai mudar!

Grande lição de sabedoria, amor e respeito… “A lenda do monge e do escorpião”

Imagem

Certo dia um Monge tibetano passeava nas margens do Rio Bramaputra com seus discípulos  e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, mergulhou na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, o homem deixou-o cair novamente no rio.

Foi então a margem tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr pela margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. Voltou o monge e juntou-se aos discípulos. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

– Mestre, deve estar doendo muito! Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:
– Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha. A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.

E foi por isso que salvei a sua vida.

Esta parábola nos faz refletir a forma de melhor compreender e aceitar as pessoas com que nos relacionamos. Não podemos e nem temos o direito de mudar o outro, mas podemos melhorar nossas próprias reações e atitudes, sabendo que cada um dá o que tem e o que pode. Devemos fazer a nossa parte com muito amor e respeito ao próximo. Cada qual conforme sua natureza, e não conforme a do outro.

“Jesus disse: conhece-se a árvore boa ou má, pelos frutos.” Cada um dá aquilo que têm, não podemos esperar maçãs, de um limoeiro, assim como o monge não esperou carinho do escorpião.

Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros a criam…

Amém! Que assim seja!

Fonte: Desconheço o autor. Há muitas formas de contar essa história… pesquise na web e escolha a sua versão.

Que amor é este?! Amor de Mãe: “…você deve se lembrar que eu te amo!”

AMOR DE MÃE

Que amor é este?! Esta é uma verdadeira história de sacrifício da mãe durante o terremoto no Japão. Depois que o terremoto acalmou, quando os BOMBEIROS chegaram as ruínas da casa de uma jovem mulher, viram seu corpo morto através das rachaduras. Mas a pose era de algum modo estranha… ela ajoelhou-se como uma pessoa que estava adorando: seu corpo estava debruçado para a frente, e suas duas mãos estavam apoiando algo. A casa caiu … caiu em suas costas e cabeça. Com tantas dificuldades, o líder da equipe socorrista colocou a mão através de uma fenda na parede para alcançar o corpo da mulher. Ele estava esperando que a mulher pudesse estar viva. No entanto, o corpo frio e duro disse-lhe que ela tinha morrido…

Ele e o resto da equipe deixou a casa e estavam indo para procurar o prédio ao lado que entrou em colapso. Por algumas razões, o líder da equipe foi impulsionado por uma força irresistível a voltar para a casa da mulher morta. Novamente, ele ajoelhou-se e através das rachaduras estreitas, pesquisou o pouco espaço de baixo do corpo morto. De repente, ele gritou com entusiasmo:

“Uma criança! Há uma criança!

“Toda a equipe trabalhou em conjunto; eles removeram cuidadosamente as pilhas de objetos entre as ruínas, em volta da mulher morta. Havia um menino de 3 meses de idade enrolado em um cobertor florido sob o corpo morto de sua mãe. Obviamente, a mulher tinha feito um último sacrifício para salvar seu filho. Quando sua casa estava caindo, ela usou seu corpo para fazer uma capa para proteger seu filho. O menino ainda estava dormindo pacificamente quando o líder da equipe o pegou. O médico chegou rapidamente para examinar o menino. Depois ele abriu o cobertor, e viu um telefone celular dentro do cobertor. Havia uma mensagem de texto na tela que dizia:

“Se você puder sobreviver, você deve se lembrar que eu te amo.”

Este celular foi passando em torno de uma mão para outra.Todos que leram a mensagem se emocionaram. “Se você sobreviver, você deve se lembrar que eu te amo.” Tal é o amor da mãe por seu filho!

Não esqueça de clicar no botão de compartilhamento …
Fonte: http://www.facebook.com/emerson.marin.7

Concurso “Top das frases poéticas no Twitter

O blog sempreviva convida seus amigos e leitores do Twitter para ajudar a compor o TOP das #frasespoeticas mais lidas e recomendadas na timeline.

Trata-se apenas de uma pesquisa com o objetivo de conhecer o interesse dos leitores que curtem esse gênero de frases.

A premiação vem a ser uma delicada forma de retribuir aos participantes. E o blog Sempreviva desde já agradece.

As contas do Twitter que postarem as cinco melhores classificadas ganharão um exemplar da antologia “O Perfume da Palavra – volume II” da Editora Muiraquitã.

Aguardo menções via timeline para @laboure_lima com a tag #frasespoeticas e via respostas para este post.

Agradecimentos a todos que colaborarem (*.*)

Vamos falar de elegância nos relacionamentos via redes sociais?

Ainda há muito o que amadurecer nos relacionamento das redes sociais… quer sejam entre amigos reais ou virtuais. A verdade é que em algum momento aflora o sentimento de vulnerabilidade a que estamos submetidos nessas relações. Lidamos com máquinas mas somos humanos, temos sentimentos e reagimos quando algo nos atinge. Apesar disso, alguns se comportam como robots. Talvez uma fonte de imaginação fundamentada em leitura, filmes e jogos, os faça querer sentir como um desses. Outros são mesmo experimentos científicos da  internet que vieram para nos infernizar…

Mas o objetivo desse post não é científico e sim relações humanas em atividade por detrás dos monitores. Então, vamos abordar algumas dessas regras que instigaram essa reflexão:

1. Ninguém disse que é obrigação cumprimentar a todos e nem isso seria possível. Não há uma regra para isso. Mas sempre postamos um olá. E na saída, deixamos um post subliminar indicando que estamos ausentes.

2. Visitar a página de um ‘amigo’ é como entrar na sua casa. O acesso acontece por convite ou solicitação. Portanto, faz parte retribuir quando se é citado num post e deixar ao menos um olá quando passamos os olhos curiosos numa página.

3. Quanto ao compartilhamento, é como entrar na casa de alguém e achar algo interessante de posse da pessoa, ou mesmo que esteja lá por empréstimo de outro amigo e levar sem dar ao menos uma satisfação.

4. Coisa pior é quando alguém que não pode acessar as informações da página por não fazer parte do rol de amigos, se aproxima de alguém que seja, só para fuçar os posts alheios. E mais, ainda surge com comentários sem dirigir uma única palavra ao responsável pela página. De todo tipo de comportamento nas redes sociais, esse é o que mais incomoda e pode ser considerado imperdoável!!

5. E há os casos da propriamente dita invasão por um hacker, que é caso de polícia e denúncia. Mas não é disso que estamos tratando aqui.

Mal comparando, os relacionamentos tratados nos itens acima, é o caso do motorista que trafega pelas ruas fazendo do trânsito uma ação irresponsável. Provavelmente, essa pessoa não pratica em casa o respeito mútuo, dispensa regras de educação, cortesia e muito menos leva em conta que gentileza gera gentileza.

Da mesma forma entendemos a falta de respeito com o meio ambiente dos conhecidos “sugismundos” que a julgar como jogam lixo pela janela dos carros, às vezes de luxo, ou mesmo dentro de um ônibus descartando lixo nas ruas. Em todos os casos é identificável que falta aquela educação que vem do “berço”. E, se não há em casa, tão pouco podemos esperar que haja em outro lugar, tanto faz se o ambiente é vida real ou virtual.

Desculpem se há um tom de desabafo nessas linhas, mas às vezes é preciso fazer as pessoas perceberem que todos podem ser bem vindos, sem restrições, desde que reconheçam que as regras de convivência existem para serem praticadas. E que a rede social não é essa “zona” que querem fazer parecer. A maioria das pessoas não aceita conviver dessa forma.

Felizmente, temos o prazer de descobrir o convívio com gente inteligente, elegante, amável e sincera. Esses sim, sabem que educação, respeito, confiança e solidariedade fazem parte dos bons relacionamentos.

Todo carinho e respeito aos que se consideram incluídos neste último parágrafo.

Paz e Bem!

Apesar das nuvens, o sol não desiste de brilhar!

[Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação. Mário Quintana]

Quando estou triste lembro que o sol

tem que nascer e brilhar todos os dias…

e apesar de encontrar o céu nublado algumas vezes…

ele sempre consegue superar essa barreira

e mostrar a força dos seus raios!

Bons amigos até o fim…

No registro de um momento inesquecível, na aldeia de Vil de Souto -Viseu – Portugal, Eunice e Tomaz abraçaram uma pinheira centenária, árvore símbolo da vida para dois bons amigos que deixaram o mundo quase ao mesmo tempo, ele no dia 22 e ela em 23 de junho de 2010, praticamente de mãos dadas, como na foto.


Os dias passam arrastados, enquanto a dor do LUTO está presente…

Diante da impossibilidade de agradecer a todas as mensagens, tomo emprestado esse espaço público, porém não impessoal, pois nesse lugar virtual extravaso o meu sentimento para o mundo.  Dessa forma espero alcançar o âmbito familiar, pessoal, profissional e virtual, com palavras saídas do coração.

Acredito na sensibilidade dos companheiros da internet, amigos-leitores, que se  interessam pelo que escrevo. Gostaria que soubessem o quanto valorizo os sentimentos expressos nas palavras generosas, que compõe as entrelinhas de cada uma das mensagens que me enviaram, nesses dias de aflição que tenho vivido.

Ainda me encontro consternada, recebendo o calor que irradia das orações da família e dos amigos. Sem deixar de ser forte, procuro suportar o golpe que tirou do meu convívio duas pessoas tão amadas, no mesmo momento.

Foi uma semana de tempestade, onde aconteceu um dos piores momentos da minha vida. No espaço de apenas 24 horas, perdi meu marido e minha mãe. Dois pilares. Verdadeiros sustentáculos na estrutura familiar. Cada qual no seu grau de importância, eles me deixaram em um vazio imenso, causa de  infindável solidão que não sei como preencher. Espero em Deus que estejam em paz, na glória do céu onde tudo é eterno.

A internet é uma ferramenta que amplifica nossa voz,  em razão disso rompo o silêncio de todo meu lamento, para externar os mais sinceros agradecimentos, ao apoio e solidariedade que me tocaram no âmago, essência mais profunda do meu ser.

Labouré Lima

Se existo, tal como sou…

placa na casa de Gandhi_India

(na entrada da Casa de Gandhi – Direitos de imagem reservados  – Raquel Almeida Lima Ribeiro)

“Sempre viva querida Mateso!  – “Irmãzinha blogueira d’além mar” –  obrigada por contribuir com  nosso blog,  trazendo suas palavras de prudência e sabedoria.

Optei por ilustrar o post com essa foto – colhida por minha filha Raquel em sua viagem pela Índia – creio que ele – Gandhi – (entre outros bons exemplos humanistas) semeou verdadeiros pensamentos de amor e compreensão sobre a evolução do mundo, que hoje questionamos… “


Olá querida Labouré!
Já me penitenciei pela ausência e o prometido é devido. Cá estou, sobretudo pelo gosto da conversa e da amizade virtual. Dois em um, como se usa por ora, pelo menos nestas bandas do Atlântico.
A religião foi, e é um dos temas que mais me fascina. Sendo católica, apostólica romana com todos os santos sacramentos (à excepção da extra-unção como costumo dizer, a dita cuja que vá esperando, que eu fico bem, obrigada!), mas parêntese à parte, penso que os valores religiosos de hoje estão um pouco como direi, um pouco diluídos. A massa jovem (nós somos extraordinárias hiper-balzaquianas) não tem ou não sente a necessidade dessa comunhão com algo extraordinário.  Sei, e milhares de pessoas como eu, que Deus, ou o que se queira chamar, não é aquela divindade de catecismo, é antes algo excepcional que, pelo menos a mim, me ajuda a ter aquela força e a acreditar, que se existo é por algo, não sou um mero e único produto biológico. Se existo tal como sou, pessoa pensante é por um desígnio.
Os valores, minha querida, só na bolsa. A sociedade porque é materialista não acredita ou não quer porque não tem, a condescendência natural para aquilatar o bem, e superar o mal. O imediatismo, a corrida, o atropelo fazem hoje parte dos valores imorais do nosso mundo.
Naturalmente que muitas concepções não têm sentido hoje em dia, muitas normas revestidas de moral também se casavam com a hipocrisia, é verdade. No entanto, num momento qualquer, algo caiu e tombou de tal forma que se despiu completamente e também ficou nu. Não houve, então, o amor, a paciência de bem revestir. Ficou apenas enrolado numa podre manta de trapos. É este o nosso mundo, mais, o dos nossos vindouros. O nosso não foi bom, mas foi positivo, este não é mau porém é muito injusto!
E por hoje termino, demorei mas…. alonguei-me e, minha querida que viva sempre em nós a fé do amanhã.
Beijinho doce.

por Maria Theresa

http://artmus.blogspot.com/

Uma imagem que vale mais de 1000 palavras…

3669622788_3e3f8a704f

http://www.flickr.com/photos/jumeliani/3669622788/sizes/m/

Essa foto do Julio Meliani – Los Angeles, CA me despertou o post, quando já estava para desligar a máquina…

Não me considero fanática por futebol. Mas sou brasileira! E quando surge uma ocasião de torcer pelo Brasil, como foi nesse jogo Brasil x EUA, valendo a Copa das Confederações, claro que assisto, incluindo os cacoetes de quem sabe tudo sobre o esporte nacional… ai quem me dera!

O fim de semana foi movimentado… subida para Teresópolis na sexta-feira e volta  ao cair da tarde de sábado, emendado com uma “noite de queijos e vinhos” em Niterói. E com o frio desse inverno, sabendo que o vinho estava liberado, ficou fácil degustar umas taças a mais…

Domingo, acordei com ar de preguiça… descobri que deixei o computador ligado… Ai que chato! Não gosto de fazer isso, mas escapou. Pois é… cheguei cansada da festa e por força do hábito liguei o computador… mas a cama, dessa vez, estava mais atraente… e eu fui pra ela.

Depois do café, passei na frente do computador e resolvi dar uma olhadinha na tela… atualizei o Twitter e lá estava alguém comentando sobre EUA 2 x 1 Brasil… CHUPAAA!!! Hummm… lembrei da Espanha “voltando pra casa”… e fiquei na dúvida, entre ver e não ver… resolvi torcer… e logo aconteceu aquele gol do Kaká que o bandeirinha não marcou… achei apertado para o Brasil virar o jogo porque estava no segundo tempo…

A galera do Twitter dizia barbaridades… tinha de tudo: a culpa era do Sarney… do Lula… do Obama… e até o “pobre” Michael Jackson, já estava sendo culpado pelo dois gols americanos, coitado!

E o Brasil começou a virar o jogo: Gooooool do Brasil!!! Logo veio outro: Goooooool do Brasil!!! Ganhamos de 3×2, sendo que o placar moral deve ser 4×2… Vieram as premiações… e o Capitão Lúcio ergueu a Taça de Campeão da Copa das Confederações!!! E o domingo ficou perfeito!!!

Saí para ir a igreja, um compromisso religioso importante, no encerramento do Ano Paulino, véspera do dia de São Pedro, Chefe da Igreja Católica. E voltei ao computador na hora do Fantástico… estava interessada nas matérias e homenagens ao Michael Jackson… resolvi fazer uns posts para comentar a entrevista daquela senhora brasileira que era cozinheira dele:

“Na entrevista ao FANTÁSTICO – ela deu uma pista importante que poderia esclarecer as causas das suspeitas de pedofilia…”

“Ela deu a entender que MJ gostava de se sentir uma criança… ele praticamente não teve infância… isso explica muita coisa…”

“Há muitos anos, fiquei comovida com uma entrevista de MJ – ainda criança – onde ele revelou que chorava em silêncio nos saguões de aeroportos enquanto esperava o próximo voo, porque ele não gostava de embarcar por medo de voar…”

“O que me intrigou na entrevista da cozinheira foi que MJ mal conseguia comer… Então, como o empresário esperava que ele cumprisse a extensa agenda de shows que estava sendo programada? #MJ’s

Mais tarde um pouco, respondi a um post da Maria Rita, em que ela comentava sobre o Festival de Parintins:

“@MROFICIAL O Festival de Parintins é lindo! Com ressalvas, pq perdeu originalidade em função do comercial. “Virou show pra inglês ver”.

Quando já me preparava para sair da internet… uma olhadinha a mais… e encontrei uma chamada para o Twitter @JorgePontual e aproveitei para ler os comentários dele sobre a situação política do Irã, quando achei o link da foto do Julio Meliani que ilustra o post… e que vale mais do que um post de mil palavras… vale prêmio! Mas, não contive o desejo de expressar minhas opiniões sobre os assuntos que vão pontuar o início da semana.

Quando liguei a TV pra ver o jogo o #CHUPA era do Brasil… agora é deles: EUA#CHUPA!!!

Entradas Mais Antigas Anteriores

The twitteramigos Daily

Paperli.PaperWidget.Show({
pid: 'laboure_lima/twitteramigos',
width: 200,
background: '#FB0000'
})

%d blogueiros gostam disto: