Amor e amizade não tem religião… Descubra o que uma judia ortodoxa e uma muçulmana têm em comum, apesar de suas religiões e culturas serem tão diferentes.

‘Alguém que me ame de verdade’ é uma história de amizade entre uma judia ortodoxa e uma muçulmana que se conhecem numa escola do Brooklyn, onde ambas lecionam. Descobrem que apesar das diferentes culturas, têm muito em comum, inclusive a pressão familiar para quem cedam ao casamento arranjado. (Postado com legendas em português por Vinicius Lirio )

Descubra o que uma judia ortodoxa e uma muçulmana têm em comum, apesar de suas religiões e culturas serem tão diferentes. O roteiro sugere que reflitamos sobre conviver com respeito, amizade e amor. Independente de raça, cor ou credo, as pessoas têm os mesmos direitos de preservar as tradições da sua origem. Cada ser humano é um mundo particular. E assim, tantos pensamentos diferentes fazem do mundo um lugar plural e cheio de desafios. Que hajam mais pessoas dispostas a demolir as barreiras da convivência e comprovar que elas não são instransponíveis.

Amei a delicadeza do filme e em linhas gerais me encantei pela simplicidade com que foi tratado um tema tão polêmico como o relacionamento entre pessoas de crenças tão diferentes. E o curioso é que tanto os muçulmanos quanto os judeus têm tradições em comum.

Estamos precisando observar o mundo com menos intolerância e mais compreensão.

Um abraço,

Labouré Lima

Anúncios

Quando você manifesta amor torna sua vida suave…

DMEzpYCX4AAJ-aQ

 

“Aqui reformam-se sonhos, remendam-se corações, alinhava-se otimismo, costuram-se desilusões. Borda-se carinho, pregam-se esperanças, confecciona-se amor, presponta-se ternura, remodelam-se almas. Aceitam-se encomendas. ”

 

(Marilene A. Branquinho)

Um romance não sobrevive sem amor…

Amor é mais que amar…
É se entregar de coração aberto;
É viver o miolo de uma história;
É se reconhecer personagem central;
É escrever um romance a quatro mãos.

 

C9QwqloWAAAhr_Y

Junho e a minha caixinha dos afetos…

foto-mamae-e-tomaz

Realmente não posso dizer que tenha sido fácil atravessar esse mês. E a bem da verdade, depois dessas duas perdas simultâneas em 22 e 23 de junho de 2010, a vida ficou diferente… Apesar disso agradeço a Deus, pois encontrei reforço no amor da família e no carinho das amizades que sobreviveram ao tempo. Olhando para outra direção encontro a minha caixinha dos afetos, o pronto socorro aonde ficam armazenadas as boas lembranças. Elas ajudam a resgatar fragmentos da história e a amenizar a saudade.

Essa foto com a mamãe e o Tomaz abraçados a pinheira centenária que fica atrás da casa, foi clicada por mim, na aldeia Casal de Vil de Souto, Viseu, Portugal, aonde nasceu meu marido Tomaz Lima. Esse lugar memorável era um cantinho feliz… o nosso pequeno pedaço do paraíso no mundo.

30 de Junho era o dia dela… E apesar da imensa saudade da nossa matriarca, certamente esse não é um dia para tristezas. A nossa EUNICE era uma mulher alegre e plena de vida, gostava de festas e de reunir a família em torno de uma boa mesa… Guardamos esse dia em respeito a sua memória, pelo amor que sentimos, pelo que representa para a família que construiu, pelos amigos que conquistou, pelo bem que fez em sua missão na terra e pelo exemplo de vida que ficou como legado.

Amor, inspiração e sabedoria… #Shakespeare‬

CJuSOt_WUAAMYBk

 

Você diz que ama a chuva,
mas você abre seu guarda-chuva quando chove.
Você diz que ama o sol,
mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha.
Você diz que ama o vento,
mas você fecha as janelas quando o vento sopra.
É por isso que eu tenho medo.
Você também diz que me ama.

Um poema solto e sábio
de #‎WilliamShakespeare‬

 

Isso era amor…

“Ele me dava a mão e eu não precisava de mais nada. Ele me fazia sentir bem acolhida em sua vida. Por mais que nos beijássemos ou mesmo dormíssemos juntos, muito mais do que qualquer outra coisa, ele me dava a sua mão e isso era amor.”

(adaptado do texto do autor Mario Benedetti).

1604487_10153741195050075_1844729877_n

Experimente o poder de cura do amor…

20140509-131302.jpg

“Nós podemos curar dores físicas com remédios, mas a única cura para a solidão, o desespero e a falta de esperança é o AMOR. Há muitas pessoas no mundo que estão morrendo por um pedaço de pão, mas há muitas mais morrendo por um pouco de AMOR.”
Madre Teresa

#Oremos pelas famílias de #SantaMaria para que encontrem a resistência que tanto precisam, com amor, fé e coragem.

Imagem

Queridos, sendo mãe de duas jovens quero abrir meu coração solidário às mães de Santa Maria, valendo-me das flores do 4º Motivo da Rosa colhidas no jardim das letras de Cecília Meireles, e bem cultivadas no mural da Maria Alice De Toledo Gaspar, no FaceBook. Através dessas rosas quero deixar a minha sentida reflexão de amor, Paz e Bem a essas mães que sofrem como a roseira machucada quando arrancam suas flores, sabendo que cada rosa ao perder suas pétalas sobreviverá no perfume da saudade… que é eterna. É isso que vai restar ao coração dessas mães que estão chorando a ausência dos seus filhos…

Com todo sentimento que trago na alma, elevo minhas preces a Deus pedindo conforto para as famílias enlutadas; pedindo muita força para que os sobreviventes sejam curados dos seus ferimentos, no corpo e na alma. E que os anjos da calma e do aprendizado estejam com todos eles, ensinando-os a encontrar a resistência que tanto precisam, no amor, na fé e na coragem, nesse momento de árdua luta pela continuidade da vida.

Que Deus abençoe a todos e enxugue o pranto das famílias de Santa Maria, RS ♥ Amém! 

4º Motivo da Rosa

de Cecília Meireles

Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.

Rosas verá, só de cinzas franzida,
mortas, intactas pelo teu jardim.

Eu deixo aroma até nos meus espinhos
ao longe, o vento vai falando de mim.

E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

Pense nisso… Um pequenino gesto pode reanimar aquele que está desiludido…

Entramos na semana prévia do Natal… Em qualquer época do ano, um gesto do fundo d’alma tem muita representatividade. E nesse tempo das celebrações da Festa da Família Sagrada, eles ganham intensidade e valor. Os Cristãos do mundo inteiro celebram o aniversário de Jesus. Ele representa o Menino Deus na plenitude da forma humana. Nasceu para nos dar seu Amor, um sentimento que é nosso dever praticar. Pense nisso… com carinho!

Paz e Bem!

“Contribua, com sua parcela, para tornar mais belo este mundo.
Um pequenino gesto, uma ação insignificante, podem melhorar muito o ambiente em que nos encontramos, elevar o entusiasmo de quem está desanimado, reanimar aquele que está desiludido.
Um simples aperto de mão confiante faz renascer, por vezes, a coragem de quem estava por fraquejar.
Então!
Contribua com algo de seu, para tornar mais belo este mundo!”

Minutos de Sabedoria
Torres Pastorino

20121215-145944.jpg

Grande lição de sabedoria, amor e respeito… “A lenda do monge e do escorpião”

Imagem

Certo dia um Monge tibetano passeava nas margens do Rio Bramaputra com seus discípulos  e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, mergulhou na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, o homem deixou-o cair novamente no rio.

Foi então a margem tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr pela margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. Voltou o monge e juntou-se aos discípulos. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

– Mestre, deve estar doendo muito! Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:
– Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha. A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.

E foi por isso que salvei a sua vida.

Esta parábola nos faz refletir a forma de melhor compreender e aceitar as pessoas com que nos relacionamos. Não podemos e nem temos o direito de mudar o outro, mas podemos melhorar nossas próprias reações e atitudes, sabendo que cada um dá o que tem e o que pode. Devemos fazer a nossa parte com muito amor e respeito ao próximo. Cada qual conforme sua natureza, e não conforme a do outro.

“Jesus disse: conhece-se a árvore boa ou má, pelos frutos.” Cada um dá aquilo que têm, não podemos esperar maçãs, de um limoeiro, assim como o monge não esperou carinho do escorpião.

Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros a criam…

Amém! Que assim seja!

Fonte: Desconheço o autor. Há muitas formas de contar essa história… pesquise na web e escolha a sua versão.

Entradas Mais Antigas Anteriores

The twitteramigos Daily

Paperli.PaperWidget.Show({
pid: 'laboure_lima/twitteramigos',
width: 200,
background: '#FB0000'
})

%d blogueiros gostam disto: