Hoje, minhas “tangerinas” são outras…

tangerina

Foto: reprodução Mundo Estranho

Pai começa o começo…

Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: – “pai, começa o começo!”. O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.

Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes,  dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.

Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis…..

Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus:

“Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.

Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o  começo.”

(Autor desconhecido. O texto encontra-se reproduzido em diversos blogs)

Gente feliz não incomoda ninguém!

14671065_10157596929570075_6177153712441242450_n

No dia da Paz Universal (01/01), estive a refletir longamente sobre às marcas que ficaram para trás e se perderam nas areias da vida… Agradeço a Deus por tudo. Foi um tempo de acréscimo espiritual e aprendizado. Aprendi que depois de um tempo as cicatrizes da alma se transformam em luzes.

Tempo de refletir e pedir perdão por aqueles momentos em que nos julgamos abandonados por Deus. Quando as pessoas sofrem, quase sempre, ficam tão entregues a própria dor que Deus as leva em Seu colo e elas nem percebem. Mas com o passar do tempo, se as pessoas têm fé, acabam por superar a fase aguda, ‘anestesiadas’ pelo amor Divino que cicatriza e cura todas as feridas da alma. E assim, sob tão poderosa proteção, readquirem a força para prosseguir.

E nesse começo de 2017, estamos a renovar os nossos votos de fé no futuro, nos sentindo novamente esperançosos e confiantes. De minha parte, quero crer que as Bênçãos do Céu continuarão a jorrar sobre todos que se sentem, como eu, sob a proteção do Altíssimo. Em Deus ponho a minha confiança e nada temerei.

Às pessoas que nos estimam podemos dizer que o contrato de amizade foi renovado e o sentimento continua selado e retribuído. As outras pessoas, entregamos a Deus e pedimos que sejam felizes. Gente feliz não incomoda ninguém.

Assim vamos em frente, na certeza de que o futuro a Deus pertence e Ele tem muito mais a nos dar.

Que o Todo Poderoso nos abençoe e proteja, hoje e sempre.

Paz e Bem!

 

por Labouré Lima


 

O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que têm medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno.

Henry Van Dyke

 

Palavra de Vida por #ChiaraLubich (1979)

Cristo Redentor

Cristo Redentor. Rio de Janeiro. Brasil.

Quantas vezes na vida você gostaria de ser ajudado por alguém e ao mesmo tempo percebe que nenhuma pessoa pode resolver o seu problema! Então, quase sem perceber, você se dirige a Alguém que sabe tornar possível as coisas impossíveis. Esse Alguém tem um nome: é Jesus.
Ouça o que Ele diz a você:

“Em verdade vos digo: se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a esta montanha: ‘Vai daqui para lá’, e ela irá. Nada vos será impossível.”

É evidente que a imagem de “transportar montanhas” não deve ser tomada ao pé da letra. Jesus não prometeu aos discípulos o poder de realizar milagres espetaculares para impressionar o povo. De fato, se você investigar toda a história da Igreja, não encontrará nenhum santo, que eu saiba, que tenha transportado montanhas com a fé. “Transportar montanhas” é uma hipérbole – ou seja, um modo de dizer propositalmente exagerado – para incutir na mente dos discípulos a convicção de que, para a fé, nada é impossível.
Com efeito, todos os milagres que Jesus realizou, diretamente ou por meio de seus discípulos, sempre foram feitos em vista do Reino de Deus, ou do Evangelho, ou da salvação dos homens. Para esse fim, de nada serviria transportar uma montanha.

A comparação com “o grão de mostarda” indica que Jesus pede a você não uma fé maior ou menor, mas sim uma fé autêntica. E a característica da fé autêntica é apoiar-se unicamente em Deus e não nas próprias capacidades. Se você for tomado pela dúvida ou pela hesitação na fé, significa que a sua confiança em Deus ainda não é plena. Sua fé ainda é fraca e pouco eficaz, ainda se apoia nas suas forças e na lógica humana. Ao passo que a pessoa que se confia inteiramente a Deus deixa que seja Ele mesmo a agir e… para Deus nada é impossível.
A fé que Jesus pede aos discípulos é justamente essa atitude cheia de confiança que permite ao próprio Deus manifestar o seu poder.

E essa fé – esta sim, capaz de transportar montanhas – não está reservada a uma ou outra pessoa extraordinária. Ela é possível e obrigatória para todos os que creem.

“Em verdade vos digo: se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a esta montanha: ‘Vai daqui para lá’, e ela irá. Nada vos será impossível.”

Supõe-se que Jesus tenha dirigido essas palavras aos seus discípulos quando estava para enviá-los a pregar. É fácil desanimar e assustar-se quando se tem a consciência de ser um “pequeno rebanho” despreparado, sem talentos especiais, diante de multidões incalculáveis às quais se deve levar a verdade do Evangelho. É fácil desanimar diante de pessoas cujos interesses nada têm a ver com o Reino de Deus. Parece uma missão impossível.
É então que Jesus garante aos seus que, com a fé, “transportarão as montanhas” da indiferença, do desinteresse do mundo. Se eles tiverem fé, nada lhes será impossível.
Além disso, essa frase pode ser aplicada a todas as demais circunstâncias da vida, desde que estejam orientadas ao progresso do Evangelho e à salvação das pessoas. Às vezes, diante de dificuldades insuperáveis, pode surgir a tentação de não se dirigir nem sequer a Deus. A lógica humana sugere que não vale a pena, pois é inútil. Eis então a exortação de Jesus a não desanimar e a se dirigir a Deus com muita confiança. Ele, de um modo ou de outro, haverá de atender.

Chiara Lubich

Esta Palavra de Vida foi publicada originalmente em setembro de 1979

Um Novo Capítulo da Vida…

A nossa família sempre foi firme e unida, nas horas boas e más. Todos sabemos que não há família isenta de problemas. Todas têm.  É inerente, algo natural da vida. Nas recentes 48 horas sofremos unidos, como família, no último adeus à Higina. Eternamente querida e especial para todos nós.

O ‘Dia Internacional da Mulher’ está chegando e a verdade seja dita, apesar de todo avanço da medicina, o ‘Câncer de Mama’ continua matando muitas mulheres. Sobre isso, quero dedicar uma reflexão mais aprofundada em outro post.

Ao acordar meu primeiro pensamento foi dirigido para Higina. Desde 1989, éramos vizinhas de porta. Nossos apartamentos são no mesmo andar. Como se fossem casas geminadas. O que nos separava era tão somente uma parede nos quartos da frente, entre o meu e o dela.  O silêncio desse novo dia trouxe a sensação de um vazio inquietante. Felizmente temos a nossa fé. Acreditamos que a esperança é a tônica da vida e que ela renasce em cada amanhecer. Como filhas de Deus estaremos sempre unidas, pela certeza de que a morte não é o fim.

É vivendo que vamos dia a dia encurtando a distância e nos preparando para o reencontro que um dia ocorrerá.

E é vivendo que amadurecemos, evoluímos espiritualmente e passamos a compreender tantas coisas e a descobrir novos valores.

Estamos recomeçando e vamos prosseguir com muita fé em Deus. O Grande Mestre há de nos guiar na construção desse novo capítulo da vida.

A esperança sobrevive!

O tempo cuidará de tudo, inclusive de apontar as causas e os culpados!

Expressando solidariedade, respeito e pesar por tanto sofrimento.

Do lado de cá da ponte Rio-Niterói, estamos solidários com essa lacuna que se abriu de forma tão avassaladora na vida carioca. O mar que nos separa é o mesmo que nos une em tudo, tanto nas festas como nas lágrimas de dor pungente.

Apesar do tempo decorrido há familiares mergulhados na imensa angústia da espera, acreditando que um milagre possa ainda resgatar sobreviventes… só em Deus!

Nos primeiros instantes correram muitas informações controversas na imprensa. Pelo Twitter muitas pessoas compartilharam informações no desenrolar da tragédia, enveredaram pelo amanhecer e prosseguiram pelo dia afora. A medida em que as horas se distanciavam do impacto da notícia, muitos se recolheram no silêncio da reflexão e oração. O povo carioca que é sempre alegre,  mostrou-se hesitante no assunto para não machucar ainda mais a imensa ferida aberta no coração de todos.

Nesse momento, a “cidade maravilhosa” se veste de luto e sofre pelos cidadãos que perderam suas vidas no desabamento da Avenida 13 de Maio. Cada uma das vítimas, ao seu modo, representava um exemplo de dedicação ao trabalho. Senão todos, a maior parte dos que desapareceram em meio aos escombros desse triste evento, estavam naquele local pela mesma razão. Defendiam que trabalho e estudo lhes traria uma vida melhor no futuro.

Por todas as vítimas, as que já foram encontradas e as que ainda estão soterradas, entregamos nossas orações a Deus pedindo Paz e Luz para suas almas.

Para as famílias enlutadas enviamos nosso carinho e conforto espiritual, rogando aos céus infinitas bênçãos de fé,  coragem e esperança para que a tristeza que se abate sobre suas vidas seja superada com o tempo. Pois, só ele cuidará de tudo e vai apontar as causas e os culpados.

Sempre orando e pondo a confiança em Deus, pedimos muita Paz  para as famílias envolvidas!

Se existo, tal como sou…

placa na casa de Gandhi_India

(na entrada da Casa de Gandhi – Direitos de imagem reservados  – Raquel Almeida Lima Ribeiro)

“Sempre viva querida Mateso!  – “Irmãzinha blogueira d’além mar” –  obrigada por contribuir com  nosso blog,  trazendo suas palavras de prudência e sabedoria.

Optei por ilustrar o post com essa foto – colhida por minha filha Raquel em sua viagem pela Índia – creio que ele – Gandhi – (entre outros bons exemplos humanistas) semeou verdadeiros pensamentos de amor e compreensão sobre a evolução do mundo, que hoje questionamos… “


Olá querida Labouré!
Já me penitenciei pela ausência e o prometido é devido. Cá estou, sobretudo pelo gosto da conversa e da amizade virtual. Dois em um, como se usa por ora, pelo menos nestas bandas do Atlântico.
A religião foi, e é um dos temas que mais me fascina. Sendo católica, apostólica romana com todos os santos sacramentos (à excepção da extra-unção como costumo dizer, a dita cuja que vá esperando, que eu fico bem, obrigada!), mas parêntese à parte, penso que os valores religiosos de hoje estão um pouco como direi, um pouco diluídos. A massa jovem (nós somos extraordinárias hiper-balzaquianas) não tem ou não sente a necessidade dessa comunhão com algo extraordinário.  Sei, e milhares de pessoas como eu, que Deus, ou o que se queira chamar, não é aquela divindade de catecismo, é antes algo excepcional que, pelo menos a mim, me ajuda a ter aquela força e a acreditar, que se existo é por algo, não sou um mero e único produto biológico. Se existo tal como sou, pessoa pensante é por um desígnio.
Os valores, minha querida, só na bolsa. A sociedade porque é materialista não acredita ou não quer porque não tem, a condescendência natural para aquilatar o bem, e superar o mal. O imediatismo, a corrida, o atropelo fazem hoje parte dos valores imorais do nosso mundo.
Naturalmente que muitas concepções não têm sentido hoje em dia, muitas normas revestidas de moral também se casavam com a hipocrisia, é verdade. No entanto, num momento qualquer, algo caiu e tombou de tal forma que se despiu completamente e também ficou nu. Não houve, então, o amor, a paciência de bem revestir. Ficou apenas enrolado numa podre manta de trapos. É este o nosso mundo, mais, o dos nossos vindouros. O nosso não foi bom, mas foi positivo, este não é mau porém é muito injusto!
E por hoje termino, demorei mas…. alonguei-me e, minha querida que viva sempre em nós a fé do amanhã.
Beijinho doce.

por Maria Theresa

http://artmus.blogspot.com/

The twitteramigos Daily

Paperli.PaperWidget.Show({
pid: 'laboure_lima/twitteramigos',
width: 200,
background: '#FB0000'
})

%d blogueiros gostam disto: