Tango na Milonga — Parte 4 — “Yo canto por no llorar” — A milonga é a irmã mais alegre do tango.

Tango na Milonga — Parte 4

Pesquisa e texto de Karlheinz Weichert 

Para quem gosta sugerimos:

Dançam Patrício Touceda e Carla Chimenta. Novamente destacamos o desempenho da parceira feminina, inclusive quanto à resistência de seus saltos alto e pés nos impactos com a pista.

O vídeo dá uma amostragem de vários casais dançarinos na Cumparsita. Esforça-se em fornecer uma amostragem algo sensual para despertar a atenção dos espectadores.

No Brasil também se praticou um tango de ares locais, muito em voga no Rio de Janeiro, no inicio do século XX. Alguns pesquisadores afirmam que esse tango brasileiro nada mais era que um disfarce do maxixe que foi proibido na época. Outros contestam essa história, pois apontam existir uma diferença entre o maxixe e o tango brasileiro devido a presença de uma pausa na primeira semicolcheia do primeiro tempo, e que não existe no tango.

Assim como em outras músicas populares (por exemplo o samba), surgiram diferentes estilos de tango: tango-canção, tango-canyengue, tango-milonga, tango-romanzae, tango-jazz. Mais recentemente ainda surgiram tango-rock e electrotango ou tango eletrônico.

Uma lista dos compositores (alguns deles também famosos interpretes) mais afamados: Alfredo Le Pera, Angel Villoldo, Aníbal Troilo, Ástor Piazolla, Carlos de Sarli, Carlos Gardel, Edgardo Donato, Eduardo Arolas, Enrique Santos Discépolo, Francisco Canaro, Francisco Lomuto, Gerardo Matos Rodríguez, Hugo del Carril, Juan D’Arienzo, Julio de Sosa, Osvaldo Fresedo, Osvaldo Pugliese, Roberto Firpo.

É comum ouvir-se falar na Milonga. Segundo pesquisadores a palavra Milonga seria derivada de mulonga (conversa) do bantu Kimbundu do sudoeste africano.

Tem quatro aspectos:

— Musical, geralmente com canto

— Dança

— Evento musical onde se dança três ritmos: tango, milonga e vals.

— Local comercial, com instalações permanentes, onde se pratica essas três danças.

Portanto em um diálogo ou texto é preciso distinguir se o assunto é a musica, a dança ou alguma festa de dança, ou estabelecimento onde se pratica as três danças citadas.

Quanto à musica alguns acham que a milonga derivou do Candombe afro-americano. Seu ritmo é notado em 2/4 e 4/4. O ritmo é algumas vezes cantado como:

— borocotó, borocotó, borocotó, chas, chas.

As letras são evoluções das improvisadas Payadas dos gaúchos.

Distingue-se: milonga candombe ou candombera,

— milonga campera ou campeana, criolla,

— milonga ciudadana ou urbana, porteña.

Nas letras, enquanto o tango se conserva em um machismo auto-condoido, na milonga o sofrimento encontra consolo superando os fracassos amorosos.

“Yo canto por no llorar”

A milonga é a irmã mais alegre do tango.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

The twitteramigos Daily

Paperli.PaperWidget.Show({
pid: 'laboure_lima/twitteramigos',
width: 200,
background: '#FB0000'
})

%d blogueiros gostam disto: